Conheça os tipos de relacionamentos tóxicos e saiba identificá-los

Dúvidas Frequentes

Solicite atendimento

Verifique o preenchimento dos campos destacados
Sua mensagem foi enviada com sucesso.


  • CENTRAL 0800 280 3155
  • Aracaju, SE (79) 9.9174-1435
  • Belém, PA (91) 99193-6529
  • Belo Horizonte, MG (31) 2555 5850
  • Blumenau, SC (48) 99975-1500
  • Boston, MA ️(781) 281-1932
  • Brasília, DF (61) 3013 4450
  • Campina Grande, PB (83) 99647-1637
  • Campinas, SP (19) 3368.4228
  • Campo Grande, MS (67) 98191-5557
  • Curitiba, PR (41) 4101-1037
  • Florianópolis, SC (48) 3036-0305
  • Fortaleza, CE (85) 3133 3200
  • Foz do Iguaçu, PR
  • Goiânia, GO (62) 3142-0410
  • Joinville, SC (47) 99990-3613
  • Juiz de Fora, MG (21) 3952-6100
  • Lisboa, PT +351 968 499 990
  • Luanda, AO +244 945 869 990
  • Maceió, AL (82) 3185-7071
  • Manaus, AM (92) 3307-0480
  • Maringá, PR (44) 3052-0508
  • Mossoró, RN (84) 4042-2045
  • Natal, RN (84) 4042-2045
  • Niterói, RJ (21) 3952-6100
  • Orlando, FL +1 (321) 209- 0013
  • Palmas, TO (63) 99937.9125
  • Porto Alegre, RS (51) 3110-5611
  • Porto Velho, RO (69) 3229-6501
  • Recife, PE (81) 4042-2230
  • Ribeirão Preto, SP (16) 40421770
  • Rio de Janeiro, RJ (21) 3952-6100
  • Salvador, BA (71) 3106 0101
  • Santo André, SP (11) 97200-3657
  • São José dos Campos, SP (12) 3942-3907
  • São Luís, MA (98) 3311-7000
  • São Paulo, SP (11) 3810-0001
  • Teresina, PI 86 9 8876-6775
  • Uberlândia, MG (34) 3082-2022
  • Vitória, ES (27) 2142.3692

Preencha o formulário abaixo e fale com um de nossos consultores

Verifique o preenchimento dos campos destacados
Sua mensagem foi enviada com sucesso.

Conheça os tipos de relacionamentos tóxicos e saiba identificá-los

Quando falamos em relacionamentos tóxicos, logo remetemos ao matrimônio e às situações que ocorrem  dentro de casa, apenas.

Acontece que esse problema não se restringe ao lar, não. Os relacionamentos tóxicos estão em toda parte. Inclusive, no ambiente de trabalho.

Portanto, saber quais são os tipos existentes, fica mais fácil identificá-los e, principalmente, saber como lidar quando eles batem na nossa porta.

Vamos ver se você entende sobre esse problema, que pode até ser comum em nossa rotina? Confira, conosco, tudo o que você precisa saber a respeito dos relacionamentos tóxicos!

O que são relacionamentos tóxicos?

No geral, trata-se de uma questão envolvendo duas ou mais pessoas. Nela, existe uma desproporção acentuada entre as pretensões, desejos e perspectivas a respeito daquele relacionamento.

Ou seja: existem atitudes e comportamentos que são tóxicos para a manutenção de um relacionamento saudável. E isso pode acontecer de duas maneiras.

A primeira delas, quando ambos os lados têm comportamentos tóxicos. A segunda envolve uma das partes, apenas, tendo alguém passivo às atitudes da outra pessoa. 

Quais são os tipos de relacionamentos tóxicos?

Como mencionamos, os relacionamentos tóxicos tendem a ser facilmente associados a uma relação amorosa. Só que ela pode ocorrer de muitas maneiras. Existem, por exemplo, as amizades tóxicas.

Nelas, as críticas e ofensas são comuns. A falsidade impera, e alguém (ou ambos) tenta levar vantagem nessa pretensa amizade. Muitas vezes, pessoas com baixa autoestima, pouco autoconhecimento e com tendências a autossabotagem são os agentes passivos dessa relação.

E, por consequência, não percebem ou sequer reagem (quando notam o comportamento abusivo) ao descobrirem que estão diante de relacionamentos tóxicos em suas vidas.

Além disso, você pode não perceber, mas o ambiente de trabalho está repleto de relacionamentos tóxicos. Ele acontece a todo instante, e independe de níveis hierárquicos.

Pode ocorrer entre colegas de equipe, entre pessoas de áreas distintas, e também entre chefe e subordinado — ou vice-versa. Nesses casos, podemos perceber atitudes em comum, como:

  • mensagens transmitidas com agressividade;
  • tentativa de diminuir o valor da pessoa;
  • minimização (ou sequer reconhecimento) das suas conquistas.

Por sua vez, a pessoa atingida se sente pequena e mal — física e psicologicamente — próxima à outra. A sensação emocional, inclusive, é de pura exaustão. Tamanho o impacto que essa pessoa tem nela por meio de comportamentos e atitudes negativos.

Como saber se existem relacionamentos tóxicos ao redor?

Se é dentro de casa, nas relações fraternas ou no dia a dia corporativo, é possível avaliar se você está diante ou próximo a relacionamentos tóxicos, sabia?

Para isso, é importante atentar-se a alguns fatores, como:

  • as discussões, digressões e conflitos são constantes;
  • o posto de vítima é constantemente ocupado por uma das pessoas;
  • o enfrentamento tende a deixar feridas (físicas e emocionais);
  • não há reciprocidade na relação;
  • empatia é algo pouco comum ou, até mesmo, inexistente.

Com esses aspectos constantemente monitorados, você pode escapar de relacionamentos tóxicos dos quais você você poderia nem ter a noção de que estava vivenciando — ou reconhecer em relações de pessoas próximas a você.

E no ambiente de trabalho?

Além de alertar os colegas, e aprender a enfrentar as atitudes tóxicas, você tem um desafio a mais, no ambiente de trabalho. E é o convívio com as pessoas que contaminam o local com suas atitudes tóxicas.

Para isso, é bom ficar de olho em alguns pontos fundamentais para que você não se deixe contaminar por isso e, muito menos, disseminar o mesmo comportamento — inadvertidamente.

Não rotule

Evite criar ou sustentar rótulos para as pessoas. Esse tipo de problema pode desencadear situações prejudiciais a elas, como bullying e outros tipos de assédios que vão atrapalhá-las tanto no âmbito pessoal quanto em sua performance dentro da empresa.

E, pense: você gostaria que fizessem o mesmo com você?

Não seja parte do problema

Entre o problema e a solução, de que lado você se encontra? Relacionamentos tóxicos existem, mas eles se dissipam se todas as pessoas “estão vacinadas” contra os comentários maldosos.

Caso você veja uma pessoa maltratando outra, tome uma atitude. Faça-a perceber que aquilo é errado e tenha mais empatia, ajudando a vítima a se reerguer e a ignorar tais relacionamentos tóxicos.

Com isso, sua presença se torna parte da solução, e não do problema.

Mude de perspectiva

Todos os dias, você pode aprender algo novo, mudar de ideia e também de perspectivas. Se até ontem você não sabia reconhecer relacionamentos tóxicos, hoje a situação é diferente. 

Por isso, use esse conhecimento para atuar dentro dos seus limites para evitar que os comportamentos agressivos, com outras pessoas sejam tolerados. Ter uma nova perspectiva é essencial para impor uma rotina diária mais saudável e balanceada para você.

E, veja só: tem um profundo impacto positivo na vida de outras pessoas também.

Aprenda a distinguir relacionamentos tóxicos

Vale a pena entender, profundamente, a diferença entre um comportamento tóxico e um temperamento complexo. Por exemplo: pessoas que defendem as suas ideias até o fim não são, necessariamente, tóxicas. 

A “toxicidade”, no caso, viria ao custo de ofensas e tentativas de diminuir as pessoas que sugeriram ideias melhores no caso em questão. O confronto e a resistência não são errados, apenas quando o foco do seu defensor é o ataque às outras pessoas, em vez das ideias em si.

Trabalhe sua inteligência emocional

Por fim, esta pode ser a sua grande meta para 2020: trabalhe a sua inteligência emocional. Por meio dela, você vai reconhecer não apenas relacionamentos tóxicos, mas aprender mais sobre você.

Com isso, suas ações e reações, diante de diferentes situações, vão ser tomadas com mais consciência, assertividade e de acordo com a sua personalidade. E não porque alguém quer que você aja assim ou da maneira desejada por ela.

Vale destacar que o assunto é muito mais complexo do que isso, mas o autoconhecimento é um importante ponto de partida. Você já vivenciou ou testemunhou situações em que os relacionamentos tóxicos se mostravam — com evidência ou discrição?

Compartilhe as suas histórias conosco, no campo de comentários, para que mais pessoas possam aprender como identificar os relacionamentos tóxicos, e entender como agir diante de cada tipo de situação!

 

Deixe seu Comentário

Veja outras notícias sobre a Febracis