6 sinais de que você está num relacionamento abusivo e como superar

Ajuda

Solicite atendimento

Verifique o preenchimento dos campos destacados
Sua mensagem foi enviada com sucesso.


  • CENTRAL 0800 280 3155
  • Belém, PA (91) 99193-6529
  • Belo Horizonte, MG (31) 2555 5850
  • Boston, MA ️(781) 281-1932
  • Brasília, DF (61) 3013 4450
  • Campina Grande, PB (83) 99647-1637
  • Campinas, SP (19) 99213.3531
  • Campo Grande, MS (67) 98191-5557
  • Curitiba, PR (41) 4101-1037
  • Florianópolis, SC (48) 9 9691.1500
  • Fortaleza, CE (85) 3133 3200
  • Goiânia, GO (62) 3142-0410
  • João Pessoa, PB (83) 99670.4040
  • Joinville, SC (47) 99990-3613
  • Juiz de Fora, MG (32) 99975.1003
  • Luanda, AO +244 945 869 990
  • Maceió, AL (82) 3185-7071
  • Manaus, AM (92) 3307-0480
  • Maringá, PR (44) 3052-0508
  • Natal, RN (84) 4042-2045
  • Niterói, RJ (21) 3952-6100
  • Orlando, FL +1 (321) 209-0013
  • Palmas, TO (63) 99937.9125
  • Porto Alegre, RS (51) 3110-5611
  • Porto Velho, RO (69) 3229-6501
  • Recife, PE (81) 4042-2230
  • Ribeirão Preto, SP (16) 40421770
  • Rio de Janeiro, RJ (21) 3952-6100
  • Salvador, BA (71) 3106 0101
  • Santo André, SP (11) 4979-5203
  • São José dos Campos, SP (12) 3942-3907
  • São Luís, MA (98) 3311-7000
  • São Paulo, SP (11) 3810-0001
  • Teresina, PI 86 9 8876-6775
  • Uberlândia, MG (34) 3082-2022
  • Vitória, ES (27) 2142.3692

Preencha o formulário abaixo e fale com um de nossos consultores

Verifique o preenchimento dos campos destacados
Sua mensagem foi enviada com sucesso.

6 sinais de que você está num relacionamento abusivo e como superar

Quando estamos num relacionamento abusivo, muitas vezes pode ser difícil ter uma visão completa da relação. Nem sempre conseguimos nos distanciar o suficiente para ver o panorama completo. Seja um namoro, casamento, ou qualquer tipo de relacionamento, sem rótulos: algumas pessoas passam do limite.

Na série You (Você), exibida pela Netflix, não é diferente. A personagem Beck (Elizabeth Lail) é stalkeada e perseguida pelo seu namorado Joe (Penn Badgley). Por Beck ainda não ter suas crenças de identidade bem definidas, ela não percebe o que está por trás do rapaz, que aparentemente, a amava.

Mesmo que um dos membros da relação não cheguem a ser psicopata, como Joe, casos de relacionamentos abusivos são mais comuns do que pensamos. A vizinha de Joe, Claudia (Victoria Cartagena) é uma realidade frequente para muitas mulheres, atualmente.

Neste texto vamos aprender a identificar onde está esse limite, como saber se você está em um relacionamento abusivo e como superar ou sair dele.

Como saber se você está em um relacionamento abusivo?

1- A pessoa te monitora constantemente?

Muitas vezes, por duvidar da sua palavra ou ter ciúmes, o parceiro ou parceira que tem comportamento abusivo pode te monitorar em diferentes escalas. Desde checar mensagens em redes sociais ou aplicativos como o Whatsapp, ou ficar reparando em quem comenta suas fotos numa rede mais pública como, por exemplo, o Facebook.

Quando seu parceiro ou parceira tem a senha de todas as suas redes e pode entrar a hora que quiser, você pode estar num relacionamento abusivo!

Ciúme excessivo é sinal de um relacionamento desregulado.

Outra característica de relacionamento abusivo é ficar falando com o parceiro mesmo quando está longe. Por exemplo, você vai a uma festa e seu namorado fica mandando mensagens constantes para durante toda a festa, sem deixar que interaja com as pessoas efetivamente presentes.

Veja bem: é diferente sentir saudade e fiscalizar! Quando se sente saudade, é normal mandar uma mensagem, falar com o parceiro, saber como está indo seu período que está longe. Já fiscalizar é privar o parceiro de liberdade individual. A diferença mora na intensidade.

Todo relacionamento é baseado em confiança mútua, companheirismo e amizade entre as partes.

Se o seu parceiro ou parceira te pressiona para dar satisfação de tudo que você faz, você pode estar em um relacionamento abusivo.

Quer saber que é você no relacionamento? Descubra aqui.

2- Seu parceiro ou parceira tenta te diminuir?

Há duas formas principais para o seu parceiro (a) te diminuir:

Constrangimento público: Se o seu companheiro ou companheira zomba de você na frente dos outros, faz piadas que te deixam desconfortável ou tenta resolver questões pessoais em público, você pode estar em um relacionamento abusivo.

Diminuir sua autoestima: A pessoa te faz sentir que você não é capaz de tomar decisões. A pessoa te faz pensar que não é nada sem ele ou ela, te dá impressão que o relacionamento é a única saída para resolução de problemas.

Quando a pessoa precisa te diminuir ou te controlar para se sentir melhor, existe algum problema psicológico que precisa ser tratado por um profissional. Nem sempre você poderá fornecer ajuda a seu parceiro. Em alguns casos nem deve fazer isso, pois pode te desgastar mais ainda.

3- A pessoa tenta mudar hábitos que fazem parte de quem você é?

Algo muito comum é quando a pessoa tenta mudar seu visual sem que você queira. Sua parceira ou parceiro tenta regular suas roupas ou maquiagem, seu cabelo, não valoriza sua visão pessoal de si mesmo? Cuidado! Essa pessoa pode estar tentando te dominar.

É diferente de uma pessoa que quer te ajudar. Se você reclama do seu visual e seu parceiro tenta ajudar, vai ser produtivo para você: isso é bom.

Se você está satisfeito consigo, mas seu parceiro fica tentando te mudar contra sua vontade, isso já passa para o nível de abuso.

Cada pessoa é de um jeito e tem que ter liberdade individual para se expressar e ser feliz.

Outra coisa muito comum em relacionamentos abusivos é afastar-se de família e amigos. Ou seja, quando a pessoa não gosta de quem você gosta. Se seu parceiro(a) não gosta de quem você gosta, fica falando mal pelas costas, fica tentando marcar programas sem eles, fica tentando te motivar a desistir de suas melhores amizades ou seus entes familiares mais queridos ou te proíbe de vê-los… Você está numa situação de abuso!

4- Seu parceiro se importa apenas consigo mesmo?

Quando você fala de seus problemas, a pessoa acaba levando o foco da conversa de volta para ela?

Ajudar é diferente de tomar o problema para si. Faz parte de qualquer relacionamento ajudar seu parceiro, mas existe um limite. É importante saber que alguns problemas são grandes demais e nem sempre é seu papel consertar.

Ademais, lembre-se da importância da ajuda recíproca e gratidão. Num relacionamento normal, sempre reclamamos um pouquinho do trabalho, dos estudos ou de outras questões do dia a dia. A vida não é fácil pra ninguém. É normal que a gente possa dividir os nossos problemas com o parceiro. Desde que o parceiro te permita fazer o mesmo, e te ajude também como puder.

Se você ajuda o seu parceiro um pouquinho mais, tudo bem, desde que seu parceiro valorize isso como um favor que você faz de bom grado, não uma obrigação.

Se a pessoa que está com você não te escuta, não te ajuda, não te sugere melhorias, como isso pode ser bom para você? Se a carga psicológica dos dois está inteira sobre os ombros de um só, como isso pode ser bom para a relação?

5- Seu parceiro não entende seus sentimentos ou faz joguinhos emocionais?

O indivíduo diminui seus feitos? Quando você conta sobre algo bom que aconteceu com você, seu parceiro ou parceira fica dizendo que “nem é tudo isso”? Fica botando defeitos em uma situação que estava perfeita para você?

A pessoa faz você se sentir mal por estar bem? Um parceiro abusivo sempre joga na sua cara: “Como você pode estar bem se eu estou aqui me sentindo tão mal?”. É abuso quando o parceiro joga a tristeza ou problemas na sua cara, parecendo que a culpa é sua.

Ele te culpa pelo que está errado no relacionamento? É caracterizante de abuso quando vocês brigam ou tem um problema, seu parceiro sempre dá um jeito de botar a culpa em você.

Faz com que a briga seja constante e usa de chantagem emocional? Uma pessoa abusiva emocionalmente pode privar você de sexo, de intimidade, ou joga um jogo silencioso como punição quando não consegue as coisas do jeito dela.

6- Justifica comportamento abusivo com uso de drogas?

A pessoa diz que estava bêbado(a), ou sob influência de outras drogas e justifica o comportamento abusivo com isso?

Jamais tolere essa situação, pois se a pessoa tem um vício que atrapalha a vida dela, deve buscar ajuda profissional. Além disso, depois da idade legal para consumo, o que cada pessoa faz sob influência de drogas é responsabilidade somente dela.

Se você for menor de idade e seu parceiro fizer isso, pior ainda!

Procure ajuda de fora, conte a um amigo ou amiga de confiança. Você não pode resolver todos os problemas de seu parceiro. Também não é saudável tomar os problemas de seu parceiro para você. Você já tem os seus.

Cuidado com as promessas vazias. É muito comum que um parceiro abusador peça desculpas e prometa mudar constantemente. Oferecer uma vida nova e melhor, mas sem dizer como vai executar isso de fato, é sinal de que não pretende mudar realmente.

O que fazer quando está num relacionamento abusivo?

Se você se identificou com os sinais, procure ajuda! Seja de amigos, seja de um profissional. E se você se sente preso ou presa, não se desespere. Se você chegou ao ponto de se afastar de quem você ama, volte. Abra seu coração, explique sua situação e peça ajuda.

Há diversas saídas para aqueles que estão em um relacionamento abusivo.

Uma delas é através do fortalecimento da inteligência emocional. Lembre-se sempre que ter inteligência emocional pode ajudar a lidar com o término, bem como sair de relações abusivas e cuidar para nunca mais entrar.

Quando a gente se conhece bem, acaba sabendo melhor quais são os tipos de pessoas que conseguimos lidar, e que tipos de pessoas não conseguimos.

Além disso, trabalhe o máximo que puder na sua autoestima. Pense nas suas qualidades, no que te faz especial. Conhece-te a ti mesmo!

Para isso, a nossa dica é o Coaching de Relacionamento. Esse Coaching é destinado a casais, que com o processo passam a se conhecer melhor e a enxergar e aceitar os defeitos e falhas do parceiro. Ou seja, esse processo visa aprimorar o relacionamento e a melhorar a afetividade do casal, que se fortalece e que pode evitar, até mesmo, uma separação.

Nesse tipo de coaching, o coach é responsável pela orientação do casal, para que saibam enfrentar as dificuldades e os conflitos da vida. Essas dificuldades têm causas diversas, como as finanças, filhos, falta de intimidade e até mesmo questões incômodas da convivência. O trabalho é realizado para que o vínculo entre os dois seja fortalecido, estimulando-os a vencerem os obstáculos em conjunto, a se unirem em busca de suas metas e sonhos.

Nunca se esqueça: você merece ser feliz! Acima de tudo, nunca desista. Sua felicidade está em suas mãos. Você é um ser completo e deve estar com alguém que pode ser completo com ou sem você.

Deixe seu Comentário

Veja outras notícias sobre a Febracis